O canal emite Especial da segunda temporada no dia 4 de setembro, pelas 23h00, com os sete participantes do Condado de Clark, seis meses depois da conclusão do programa.

A partir do dia 11 de setembro, todas as segundas-feiras, pelas 23h00, Crime + Investigation™ estreia terceira temporada 60 Dias Dentro Atlanta. Uma visão de como é a vida atrás das grades, através dos olhos de civis inocentes, que viverão a experiência na prisão de segurança máxima do Condado de Fulton.

A série de sucesso 60 Dias Dentro regressa ao Crime + Investigation, no dia 4 de setembro, pelas 23h00, emitindo um Especial da segunda temporada, com os sete participantes do Condado de Clark, seis meses depois da conclusão do programa e de terem regressado a casa, que mostra como as suas vidas mudaram depois da sua experiência extrema na prisão do Condado de Clark , e por outro lado, a partir do dia 11 de setembro, todas as segundas feiras, pelas 23h00, o canal estreia a terceira temporada, intitulada 60 Dias Dentro Atlanta.

Nesta nova temporada, tudo acontece na prisão do Condado de Fulton, em Atlanta, Geórgia. Uma das prisões de segurança máxima com reputação de ser das mais perigosas da América, que alberga cerca 2500 reclusos, cinco vezes mais extensa do que a prisão do Condado de Clark da temporada anterior. A Cadeia Fulton é chefiada pelo Coronel Mark C. Adger e está localizada em ambiente urbano, e tem um número grande de gangues, onde entre os mais poderosos se encontram os Bloods, Crips e Gangster Disciples, sendo as principais forças dentro da prisão.

O programa foi filmado em duas partes consecutivas, com oito participantes em cada, para chegar ao fundo de problemas crescentes de tráfico de drogas, gangues poderosos, constante ameaça de violência e corrupção existente dentro da prisão.

Depois de saber do grande sucesso das temporadas anteriores em Clark County, o Coronel Adger decidiu utilizar o experimento com civis inocentes para ajudar ao cerne da raiz desses problemas e entender como funciona internamente o dia-a-dia do sistema prisional, durante 60 dias.

Os participantes foram separados em duas instalações distintas: Os homens ficaram na unidade principal, onde dividem a cela com mais dois internos, enquanto as mulheres ficam num edifício separado e a 30 minutos do principal, na companhia de outras sete presidiárias.

Nesta terceira temporada, os participantes incluem um professor de educação especial que trabalha com jovens de risco; um homem que acredita que o sistema falhou com os afro- americanos e que pretende ajudar a combater a discriminação; um ex-agente de correção que quer ver como é que as coisas são quando os papéis estão invertidos; uma mulher que conheceu o seu marido enquanto ele estava preso e que tem esperança de compreender o seu comportamento institucionalizado na prisão; um fuzileiro que ambiciona uma carreira nas forças policiais, entre outros.