Desde que Donald Trump foi eleito presidente dos Estados Unidos a filha Ivanka assumiu um lugar de destaque e um papel atípico na Casa Branca. No sábado, dia 30 de setembro, às 22h00, o Odisseia estreia o documentário ‘Ivanka Trump: Primeira-Dama dos EUA?’ que pretende esclarecer as linhas mestras do seu pensamento e o seu real peso político.

A ‘primeira-filha’, como já é apelidada, acompanha o pai em visitas oficiais e tem um gabinete na Ala Oeste da Casa Branca, tal como o marido, Jared Kushner, nomeado assessor do presidente norte-americano. Será que Ivanka Trump se transformou na mulher mais poderosa do mundo?

É a indefinição quanto ao seu papel que está a alarmar analistas e especialistas, considerando que se está próximo de um limite da ética, já que a combinação entre as relações políticas (Ivanka e o marido são representantes especiais da Casa Branca) e os negócios (através da marca Ivanka Trump Marks LLC) é considerada por muitos inaceitável.

Neste documentário de 60 minutos o jornalista e apresentador Matt Frei viaja até aos Estados Unidos para averiguar por que é que Donald Trump confia tanto na sua filha.

Ivanka, de 35 anos, foi a única filha de Donald Trump – que também é pai de Donald Trump Jr, de 38, Eric, de 32, Tiffany, de 23, e Barron, de 11 – a trocar Nova Iorque por Washington quando o pai tomou posse como 45.º presidente dos Estados Unidos. Esta tem, aliás, desempenhado praticamente o papel de primeira-dama, uma vez que Melania Trump optou por permanecer em Nova Iorque pelo menos até ao final do ano escolar, para não prejudicar os estudos do filho, Barron.

A empresária é casada com Jared Kushner desde 2009 e tem três filhos: Arabella Rose, de cinco anos, Joseph, de três, e Theodore, que completa um ano no próximo dia 27 de março.